Dancing on the kitchen tiles

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Requiem para meu avô

Faz quase um ano que ouvi tua voz pela última vez. Engraçado como o teu timbre ainda ecoa em meus ouvidos. Me traz uma calma santa, mas entristece. Tenho tudo como uma lembrança bonita, um filme preto & branco que assisto no drive-in mais próximo. Um filme retrô, com a fita um pouco gasta, que o tempo gastou. Engraçado como tua ausência me faz reviver o passado, sempre, mas sempre esperando o futuro. O futuro que desejava pra mim, e pra ti, e pra todos nós. Como lembrar de ti me faz lembrar que não quero mais crescer. Chega dessa história de virar gente grande, chega! Ir perdendo pessoas pelo caminho, como perder pedaços da minha história que só permanecerão em minha memória. Tuas histórias, tuas conquistas, o teu amor gigante por tudo é o que me faz continuar. Te guardo numa caixinha, as fotos já um pouco gastas e o pouco de concretas recordações que tenho de ti. Te guardo também no meu coração e te carrego nele por onde vou, pra todo lugar. O meu coração, saiba que você estará sempre dentro dele, assim como sei que estarei sempre dentro de ti. Onde quer que você esteja...

Para Egon, em pessoa ou em memória.

2 Comentários:

Blogger Caqui disse...

ah, que triste ;/
*holding you now*
muito bonito, cat..
beijoca

18 de fevereiro de 2009 21:00  
Blogger David Emanuel Carvalho disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

19 de fevereiro de 2009 07:06  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial